Casa Verde e Amarela

Conheça o novo programa de habitação: Casa Verde e Amarela

A Casa Verde e Amarela é o novo programa habitacional do governo que visa dar às famílias de baixa renda acesso a melhores moradias.

Destinado a atender milhões de famílias até 2024, um aumento de mais de R$300.000 casas em relação ao que poderia ser servido com as medidas atuais. Seu objetivo é melhorar as moradias, regularizar a terra e baixar as taxas de juros para a população de baixa renda.

Principais Diferenças em relação ao Minha Casa Minha vida

Tipos de serviços – no Minha Casa Minha Vida havia apenas a modalidade de produção habitacional, ou seja, construção habitacional. A Casa Verde Amarela prevê a regularização fundiária, produção e melhoria da moradia financiada.

Mudança de faixas de renda – no Minha Casa Minha Vida as famílias foram divididas em quatro faixas: Faixa 1 – Renda até R$ 1,8 mil; Largura de banda 1,5 – entre R$ 1,8 mil e R$ 2,6 mil; Nível 2 – entre R$ 2.600 e R$ 4.000; e Nível 3 – entre R$ 4.000 e R$ 7.000, enquanto na Casa Verde e Amarela as famílias são divididas em 3 grupos.

Os grupos dividem a população em faixas de renda e têm taxas de juros diferenciadas para as regiões Nordeste e Norte do país.

O Grupo 1 inclui famílias com renda mensal de até R$2.000, Grupo 2 famílias com renda entre R$ 2.000 e R$ 4.000 e Grupo 3 famílias com renda entre R$4.000 e R$7.000 por mês.

O programa Casa Verde Amarela tem uma faixa de renda muito ampla, o antigo programa Minha Casa Minha Vida começou com uma renda de R$1.300,00 e conseguiu financiar entre R$130.000 e R$144.000 dependendo da região. Mas agora o teto é bem diferente, variando de R$ 150.000 a R$ 240.000.

Taxas de juros diferenciadas – Minha Casa Minha Vida tinha uma taxa de juros única para todo o país que variava de acordo com a faixa. A Casa Verde Amarela apresenta taxas mais baixas para as populações das regiões Norte e Nordeste.

Funcionamento do programa

O objetivo da Casa Verde Amarela é trabalhar com financiamento imobiliário, obras de reforma e regularização fiduciária.

Para ser elegível ao programa, a renda inicial deve ser de R$ 1.300,00 e pode ir até R$ 7.000,00. A diferença é que quem ganha menos, até 1900 reais, tem juros diferenciados, pois quem tem renda mais alta também tem juros mais altos.

Moradores das regiões sul, sudeste e centro Oeste têm taxas de juros entre 4,5% e 5,25% no Grupo 1, entre 5% e 7% no Grupo 2 e entre 7,66% e 8,16% no Grupo 3. Moradores das regiões Norte e Nordeste que também pertencem aos grupos 1 e 2 terá taxas um pouco menores, entre 4,25% e 5% no grupo 1 e entre 4,75% e 7% no grupo 2. As taxas do grupo 3 permanecem as mesmas da população das regiões sul, sudeste e centro-oeste regiões.

A ideia da regularização fundiária é mapear as famílias que estão fora das exigências legais em lotes e casas irregulares e regularizar a situação dessas famílias por meio de registro e escritura de propriedade.

Para reformas e na retomada das obras, o programa prevê reformas e ampliações do imóvel, tais como: B.: construção de telhado, mais um dormitório, banheiro, instalações elétricas ou hidráulicas, pisos e acabamentos em geral.